02

Dispersão de pigmentos

Os pigmentos, em pó seco, são normalmente incorporados nas tintas. Os pigmentos não são partículas primárias, são aglomerados. Aglomerados significam pigmentos "agrupados" no qual o espaço entre partículas de pigmentos contém ar e misturas. Essas partículas de pigmentos individuais só estão em contato entre si nos cantos e arestas. Forças interativas entre as partículas são relativamente pequenas, porém essas forças podem ser criadas através das tradicionais unidades de dispersão.

 

 

No caso da dispersão de pigmentos, os aglomerados de pigmento são quebrados pelo impacto e forças de cisalhamento, que levam idealmente a partículas primárias. Durante este processo, é fornecida energia ao sistema de tinta e, portanto são formadas partículas menores, com uma maior interface com a resina. O sistema se esforça então para sair deste estado energizado, para voltar para o estado anterior de baixa energia: os pigmentos bem distribuídos se juntam para formar estruturas maiores, que são conhecidas como floculados. Isto se reflete, por exemplo, em baixo poder de tingimento, perda de brilho e reologia alterada. Em termos de estrutura, os floculados são muito similares aos aglomerados; entretanto, o espaço intersticial entre as partículas de pigmentos, fica ocupado com solução de resinas e não pelo ar.

Dispersão e floculação de pigmento

Floculação/defloculação: duas gotas de tinta (pigmento vermelho orgânico) ao microscópio

Floculação/defloculação: duas dispersões de um pigmento preto de partícula de carbono fina na luz transmitida